7 Motivos pelos quais crianças não devem usar Celulares

7 Motivos pelos quais crianças não devem usar Celulares

 

O acesso das crianças às novas tecnologias parece não ter freios. Anteriormente, a preocupação era limita a que crianças ficavam muitas horas assistindo televisão, enquanto hoje há uma grande ansiedade dos pais sobre o contato com as crianças, até mesmo bebês, com celulares e tablets. Vários especialistas na área, como o Dr. Franciny S, alertam sobre o risco do uso desses dispositivos com lactantes e crianças. São telefones celulares e tablets as novas babás e cuidadores de crianças?

 

Até que ponto as crianças podem usar o celular?

 

Durante meses, várias Associações de Pediatria iniciaram uma campanha para restringir o uso prolongado de celulares e tablets, propondo mais controle por parte dos pais. Atualmente a Academia Americana de Pediatria e a Sociedade Canadense de Pediatria, revelaram muitas outras razões pelas quais as crianças menores de 12 anos não devem usar esses dispositivos, sem um controle dos pais. Eles são claros ao momento de falar sobre o tema, bebês de 0 a 2 anos de idade não devem ter qualquer contato com a tecnologia; os de 3 a 5 anos, deve ter o acesso restringido e com duração máxima a uma hora por dia; 6 aos 18 anos no máximo 2 horas por dia.

 

Por que limitar o acesso das crianças ao celular ou tablets? Abaixo mencionamos os principais 7 motivos pelos quais os pais devem controlar o acesso das crianças ao celular.

 

1 - O desenvolvimento cerebral nas crianças

Um desenvolvimento cerebral causado pela exposição excessiva às tecnologias pode acelerar o crescimento do cérebro de crianças entre 0 e 2 anos de idade, e associado com certas funções biológicas não bem desenvolvida e déficit de atenção, atrasos cognitivos, dificuldades de aprendizagem, aumento da impulsividade e falta de auto-controle (birras).

O desenvolvimento humano requer fases muito bem definidas, uma vez que a criança ou adolescente salta uma dessas fases, as consequências podem ser desastrosas.

 

2- Atraso no desenvolvimento da criança

O uso excessivo da tecnologia pode limitar o movimento, e consequentemente os resultados acadêmicos e educacionais fundamentais, alfabetização, atenção e certas habilidades cognitivas.

 

3- Obesidade Infantil

Um estilo de vida sedentário que envolve o uso da tecnologia é um problema crescente entre as crianças. A obesidade leva a problemas de saúde como diabetes, vascular e coração.

Também pode deixar o cérebro mais preguiçoso e tendencioso a esperar tudo pronto.

 

4- Distúrbios do sono em crianças

Estudos revelam que a maioria dos pais não monitoram o uso da tecnologia dos seus filhos em seus quartos, o que mostra que as crianças têm mais dificuldade em adormecer. A falta de sono afeta negativamente o seu desempenho escolar.

 

É importante que as crianças cumpram um horário específico de sono, especialmente dormir cedo. Nessa fase é muito importante para a criança dormir bem, o cérebro consegue desenvolver corretamente as principais funções cognitivas que serão necessárias para que se desenvolva de maneira completa.

 

 

 

5- Doença Mental

Alguns estudos comprovam que o uso excessivo de novas tecnologias podem aumentar as taxas de depressão na infância, ansiedade, distúrbios de apego, transtorno de déficit de atenção, transtorno bipolar, psicose e outros problemas de comportamento infantil.

 

6- Comportamento agressivo na infância

A exposição das crianças a conteúdo violento e agressivo pode alterar o seu comportamento. As crianças imitam tudo e a todos, pois existem neurônios tão especializados em copiar comportamentos que armazenam essa informação de forma longânima. Então você precisa para monitorar o uso e navegação da criança no celular ou tablets.

 

7- Deficit ausente ou atenção

O uso excessivo de novas tecnologias pode contribuir para o deficit de atenção, reduz a concentração e a memória das crianças, graças à alta velocidade dos seus conteúdos.


 


Comentários